Direita x Esquerda

O assunto é complexo, controverso e extenso, porém gostaria de fazer uma breve reflexão, sucinta e dinâmica, sobre o significado das expressões “direita e esquerda”.
Com as eleições estes termos estão sendo bem massacrados pelos candidatos à presidência. Para entender melhor suas origens é necessário voltar no século XVIII, mais precisamente na Revolução Francesa em 1789, quando no salão da Assembleia dos Estados Gerais, os extremistas jacobinos se sentaram à esquerda e os liberais girondinos se sentaram à direita, ou seja, naquela época a alta burguesia literalmente não quis “se misturar” com a baixa.
       Existem diferentes vertentes sobre este assunto, mas a definição mais concreta para compreensão seria que a esquerda defende a igualdade de oportunidades e prega pela intervenção do Estado. A direita define-se como eficiência e prega menor interferência do Estado, entendendo que a desigualdade é algo natural, própria do ser humano.
            Vamos destrinchar este assunto analisando alguns cenários:
- ESQUERDA - Apoia políticas de cotas, pois acredita que o Estado precisa gerar oportunidades para aqueles que não tiveram, ou seja, aos que nasceram em condições desfavoráveis. DIREITA – Acredita que é natural a desigualdade social e que o Estado não deve intervir nisso, isto é, quem nasceu pobre deve correr atrás por conta própria, sem ajuda do Estado.
- ESQUERDA - Não defende a privatização de empresas estatais, pois tiraria um bem nacional do Estado, sendo assim faculdades públicas, Petrobras, Eletrobrás, não poderiam ser repassadas para a mão da iniciativa privada. DIREITA – Entende que empresas públicas são o foco da corrupção, sendo cabide de emprego para os colaboradores de campanha, se fosse administrada pela iniciativa privada aumentaria empregos, a eficiência da empresa e competitividade.
- ESQUERDA – É favorável aos programas de assistência social, ou seja, o Estado deve oferecer condições aos desfavorecidos, como o direito ao bolsa família, a continuação do Sistema Único de Saúde (SUS), entre outras medidas. DIREITA – Defende que o Estado não deve intervir nisso, porque o mercado econômico deve se autorregular.
- ESQUERDA - Concorda com a reforma agrária, redistribuindo grandes latifúndios de terra que não cumprem com a função social da propriedade. DIREITA - Prega o respeito à propriedade privada.
            Podemos concluir que os de esquerda acreditam que o estado deve atuar para diminuir a desigualdade social e instalar condições materiais a todos, por meio de um investimento maior de recursos públicos em questões sociais de forma imediata, primeiro se elimina a pobreza para depois pensar na riqueza do país. Já os de direita defendem maior abstenção do Estado na economia e na vida das pessoas, pois as questões sociais podem ser resolvidas a longo prazo, visando primeiro a solução da economia. Para eles, quanto mais rico for o país, menor será a pobreza.
Nenhum dos partidos existentes são totalmente direita ou esquerda, mas sobrepõe algumas características, sendo um mais do que o outro. Por isso, sugiro que os projetos dos candidatos sejam analisados, afinal, posicionamento político cada um tem o seu. Faça sempre uma análise crítica e pense no melhor para o futuro do país.
Aos indecisos ou que queiram realmente ter certeza em quem votar, sugiro acessar o site: https://oiceberg.com.br/calculadora/#comment-108 e responder algumas perguntas para descobrir o seu perfil de ideologia de acordo com o plano de governo mais adequado. É bem bacana e irá esclarecer em quem você poderá votar.  


Fonte:https://www.megacurioso.com.br/politica/99236-conheca-a-origem-dos-termos-esquerda-e-direita-na-politica.htm

Comentários