Insegurança para o futuro do país

O Brasil ficou em estado de choque com o caso Vitória de Araçariguama (SP), ao ser encontrada morta após oito dias desaparecida, ela tinha apenas 12 anos e saiu para andar de patins. As causas do horrendo fato ainda estão sendo apuradas pela polícia.  
O crime ocorrido na cidade que tem pouco mais de 17 mil habitantes deixou muitas pessoas assustadas, afinal isso mostra que o perigo pode estar em toda parte. Agora, o que motiva alguém agir tão cruelmente contra uma criança? É inaceitável tamanha maldade.
Infelizmente, Vitória entrou para mais uma triste estatística, assim como tantos outros meninos e meninas. Segundo dados do departamento de informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), em 2016 o Brasil registrou 11.179 homicídios entre crianças, adolescentes e jovens, de 0 a 19 anos, sendo que deste montante mais de 91% tinham de 15 a 19 anos.
Os Estados com as mais elevadas taxas de homicídios por 100 mil habitantes foram Amapá, Sergipe e Alagoas. Bahia foi o Estado com o maior registro de homicídios em número absoluto, desconsiderando o número de mortes por habitantes, com 1.387 notificações, seguido por Rio de Janeiro, 1.113, Minas Gerais, 845, e São Paulo aparece na sétima posição com 605.
Os números impressionantes dos assassinatos ainda revelam que mais de 93% são homens. E, referente ao ano anterior, houve um aumento acima de 5,3% nos registros de mortes entre crianças, adolescentes e jovens. Os índices são alarmantes e sem dúvida geram uma preocupação em muitos pais, que precisam dedicar-se cada vez mais para garantir a segurança dos seus filhos.
Os motivos para essa atrocidade podem ser inúmeros, dentre eles a falta de estrutura familiar, que acaba levando os jovens ao meio do crime ao serem recrutados para esse universo, educação sem qualidade que não qualifica o indivíduo para o mercado de trabalho, envolvimento com pedófilos, insegurança e medo de contar à família algum tipo de ameaça que tenham recebido, ou até mesmo a infelicidade de trombar com algum bandido, entre outros tristes fatores.
Para a diminuição desses assassinatos é preciso uma atenção primordial dos nossos governantes para que promovam uma mudança radical no país, por meio do desenvolvimento de políticas educacionais e de segurança mais severas, que assegurem os direitos fundamentais de nossas crianças, que são o futuro do Brasil, afinal, estamos cansados de gritar por socorro.


Fonte: MS/SVS/CGIAE - Sistema de Informações sobre Mortalidade - SIM
Fonte: 2011-2012: IBGE - Estimativas populacionais enviadas para o TCU, estratificadas por idade e sexo pelo MS/SGEP/Datasus.


Comentários